carregando...

Notícias

APRESENTANDO LEONARDO GRECCO – JOVEM DIRETOR

21.12.2018

Leonardo Grecco, jovem ajudante de montagem da série “Pico da Neblina” com direção-geral de Quico e Fernando Meirelles, também é diretor de cinema.

Para o site, ele apresenta e fala um pouco mais sobre seu curta “Camaleão”, que conta a história de pessoas que se enxergam diferentes perante a sociedade. Conheça Leonardo:

Sobre mim.

“Minha vontade de contar histórias não é recente, com apenas 10 anos lancei um livro infanto-juvenil de forma independente com uma história de gênero fantástico em 140 páginas; com a dificuldade de distribuir esse livro para o público, aos 12 decido adaptar esse conto para um filme. De forma improvável, assim começa minha relação com o cinema, produzindo um filme amador de 40 minutos baseado na meu próprio livro.

Não tinha como ser diferente, me apaixonei intensamente pelo processo, e desde então passei a estudar linguagem, história e referências cinematográficas, isso me levou a diferentes livros, cursos e workshops, grande parte deles voltados a área técnica, principalmente montagem.

Com um coletivo de amigos fiz a montagem do documentário “Cabra-Macho”, exibido no Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo e no Curta Taquary em Pernambuco, e fiz a fotografia e montagem do curta “ROMA”, exibido em festivais como o Festival Mix Brasil, Festival de Cinema de Vitória e Recifest. Até que finalmente assumo a responsabilidade pela primeira vez de dirigir um curta-metragem de ficção, o curta “Camaleão” ,  obra que uniu esses anos de experiência técnica com uma mensagem relevante e pessoal.”

Sobre o curta.

“O argumento é do meu amigo Wagner Domingos, cujo apelido rendeu o nome do coletivo “Vagão Filmes”, que me apresentou a história de Roberto, um personagem que se enxerga de forma diferente do resto do mundo.

Eu adotei a história como minha também, e juntos construímos um roteiro que está diretamente atrelado ao visual, valorizando as pequenas pistas e referências, ora no diálogo, ora na fotografia.

O filme tem um recorte no racismo, fala sobre as máscaras construídas socialmente, sobre o desejo de ser aceito, e o caminho doloroso de conhecer a si próprio. Neste contexto, a figura do camaleão é super interessante para traçarmos este paralelo de como a camuflagem existe no âmbito social.

Curta-Metragem CAMALEÃO – Trailer (2019) from Leonardo Grecco on Vimeo.

A equipe.

“O coletivo foi essencial para a produção desse curta, foi através de contribuições e esforços internos que financiamos o filme de orçamento baixíssimo, a produtora Isabela Akemi pensou estrategicamente as locações e obtivemos autorizações sem nenhum custo, e a fotografia do André Guerra aproveitou ao máximo essas locações, funcionando de acordo com a nossa proposta estética de aproveitar os reflexos em superfícies e isolar o personagem no quadro.

Camaleão foi o primeiro projeto dessa estrutura para maioria dos integrantes da equipe.”

 

Minha visão do mercado.

“Eu venho de uma geração que cresceu com mais acesso tecnológico, deixamos de ser espectadores passivos, e passamos a produzir conteúdo em vídeo diariamente em redes sociais, o acesso à câmeras e softwares de edição é muito mais fácil do que há 10 anos atrás. Paralelo a isso, eu também vejo nessa geração o desejo de se expressar, de ter voz, e ser ouvido. E por isso o audiovisual é uma ferramenta essencial, já que é capaz de conectar pessoas, e gerar reflexões através da empatia.

Hoje, eu enxergo um cinema multiforme, de várias telas, várias vozes… O cinema como linguagem, como essa ferramenta da nossa geração, não cabe mais apenas em uma sala escura, ele pertence aos que querem construir pontes, seja de entretenimento, reflexão, experimentação, ou uma dose equilibrada disso tudo,  como eu sempre tento fazer.”